Os desafios de trabalho que as pessoas enfrentam tendem a ser cada vez mais exigentes, exigindo maior preparação, experiência e cada vez mais eficiência e eficácia nas tarefas que executamos. Esta demanda, juntamente com o desejo natural de nos sentirmos bem no que fazemos, muitas vezes faz com que o espaço de trabalho dentro das equipes gere alto estresse e ansiedade, o que afeta a saúde dos indivíduos, organizações, resultados gerais e tem uma correlação nas políticas públicas, devido ao aumento sustentado das licenças médicas entre os trabalhadores. Em outras palavras, ser capaz de administrar equipes saudáveis, evitando assim o estresse e a ansiedade dentro de nossos colaboradores, é uma missão fundamental para o bem-estar dos sujeitos e para a realização dos desafios corporativos.

Há várias razões pelas quais o estresse é gerado dentro das equipes de trabalho. Um deles tem a ver com a má gestão da carga de trabalho ou, em outras palavras, quando as pessoas recebem mais trabalho do que realmente podem fazer. Este aumento da demanda leva à fadiga e ao aumento da pressão sobre as pessoas, o que leva ao estresse e à ansiedade entre os funcionários.

Outra razão comum é a falta de treinamento. Quando não temos as pessoas certas dentro de nossas equipes de trabalho, seja por falta de treinamento, conhecimento técnico ou falta de habilidades para fazer o trabalho. É por isso que o treinamento contínuo é tão importante, pois equipes mais bem treinadas sofrem menos estresse, trabalham melhor sob pressão e têm menos doenças relacionadas ao trabalho.

Uma terceira dimensão importante a ser levada em conta é a cultura da organização onde se trabalha. Há organizações que valorizam as pessoas que permanecem mais horas no trabalho mesmo que não estejam fazendo nada realmente produtivo, ou que tenham práticas que não promovam o autocuidado em equipe e, portanto, incentivem o estresse, a baixa motivação e outras características do trabalho insalubre.

Embora as organizações tenham um desafio interno para cuidar melhor das pessoas e tornar a felicidade e o bem-estar de seus funcionários parte de suas linhas estratégicas, esta é uma tarefa compartilhada. Por um lado, é essencial que cada um de nós escolha um local de trabalho onde se sinta motivado e goste do que faz, pois a alta motivação para o que faz é um fator de proteção contra o estresse, burnout e outros sintomas relacionados ao trabalho.

Outra dimensão está nos patrões, pois eles são a principal causa de bem-estar ou desconforto dos trabalhadores. Por esta razão, as pessoas que exercem a liderança são as primeiras a serem chamadas para cuidar das pessoas, orientar o trabalho que fazem com senso de propósito, promover o autocuidado, gerenciar metas e cargas de trabalho, tudo com o objetivo claro de prevenir doenças relacionadas ao trabalho, mas também de promover uma cultura de bem-estar no local de trabalho, o que aumenta o comprometimento e o bem-estar, com o qual podem alcançar melhores resultados ao longo do tempo e gerar equipes com melhor desempenho.

Além disso, não se esqueça que criar bons ambientes de trabalho é extremamente produtivo para sua organização, pois proporciona excelentes resultados.