Desde o estabelecimento de uma organização até seu crescimento constante, ela está envolvida em várias mudanças e desafios, seja estabilidade financeira, posicionamento da marca, crescimento e retenção de seus funcionários, pensando na experiência do cliente, etc.

Estes desafios exigem novas qualidades e novas habilidades dos funcionários e, portanto, da organização. Mas o funcionário é realmente capaz de se adaptar às mudanças, de aprender novas habilidades, existe treinamento de resiliência organizacional, como lidar com as adversidades, ou, em qualquer caso, não é suficiente treinar o funcionário em novas tecnologias (em novas habilidades) ou devemos primeiro pensar em sua capacidade de se adaptar a situações voláteis?

O que queremos dizer com resiliência? De acordo com Hamel y Välikangas, a resiliência não se trata apenas de adaptação a situações de crise. Pelo contrário, trata-se de antecipar e adaptar, de mudar antes que a necessidade de fazê-lo se torne óbvia. s vezes esperamos que a empresa se deteriore antes de começarmos a mudar, ou, como diz o velho ditado, “para subir temos que cair primeiro”.

Este é um erro que cometemos, não aprendendo com o que nos acontece constantemente, não antecipando mudanças. Porque é muito diferente se seu processo de adaptação começa a partir da queda, do que se seu processo de adaptação começa com sua organização em pé, esperando a mudança, sem ser surpreendido.

Resiliência nas organizações
Uma organização resiliente é aquela que possui os mecanismos e ferramentas necessárias para superar adversidades, para superar conflitos e sair deles com distinção.
A resiliência permite às organizações ver a incerteza como um fator de progresso em vez de perigo ou sobrevivência.

A importância da resiliência
A experiência de eventos que nos ajudam a aumentar e fortalecer nossa resiliência nos permitirá desenvolver novas capacidades dentro de nossa organização. Alguns exemplos são:
-Adaptação melhor: Constrói nos funcionários a capacidade de resolver eficaz e eficientemente as diferentes circunstâncias que possam surgir.
-Agilidade: Permite que os líderes da organização tomem decisões rápidas e, sobretudo, relevantes, sabendo que uma decisão pode ter aspectos positivos e negativos num futuro próximo.
-Melhorar a reputação da organização: Novas empresas estão sempre surgindo na mesma área de trabalho, e ao mínimo descuido podemos ser superados por elas. Mas, ao se destacar de uma situação difícil, a organização está melhor posicionada do que seus pares.
-Fomentar um clima resiliente dará aos funcionários e clientes a sensação de que a organização com a qual eles trabalham nunca os decepcionará.

Antes de treinar sobre novas tendências como resultado da melhoria contínua, devemos pensar se nossa organização ou, mais especificamente, nossos funcionários, são capazes de adotar e perceber mudanças constantes de uma boa maneira.