Como conseqüência do constante anseio de melhoria inerente ao ser humano, novas tecnologias, novos recursos e, como consequência, novas tendências em RH surgem de tempos em tempos.
Nosso dever em Recursos Humanos é nos informar sobre as novas tendências para discernir quais se encaixam em nossas organizações, mas para isso, é necessário conhecer nossa cultura, nosso propósito e nossos colaboradores, somente assim saberemos que futuro nos espera ou que futuro se adapta a nós; porque, para citar Peter Drucker, “a melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”, e para gerar algo novo devemos aprender com o que já foi construído.
Surge então a questão, quais são os caminhos futuros de RH pelos quais teremos que aprender a caminhar.
Aqui estão algumas das tendências que têm ou poderiam ter um impacto sobre os RH nos próximos anos:

1. Transcendência em RH: Cuidando de nossa fonte de ajuda

Devido à constante adaptação que surge em muitas áreas de trabalho, as organizações perceberam a importância da área de Recursos Humanos. Esta área está encarregada de apoiar e alavancar diferentes redes internas de empresas, mas o que foi feito para cuidar desta área, como profissionais encarregados de gerenciar pessoas, o que fizemos para administrar nosso núcleo de ação.

Para permitir que o RH transcenda, é essencial não negligenciar a fonte de ajuda e apoio de toda a organização. Assim como planos de desenvolvimento, melhoria contínua, aprendizado constante, remuneração, etc., são gerados para ajudar a empresa, o foco também deve ser colocado na área de RH.

2. Pensando no funcionário como o pilar de nossa empresa: requalificação e requalificação

Existe atualmente uma grande diferença entre as habilidades/conhecimentos que as empresas procuram para serem competitivas e os conhecimentos/competências que forjam nas instituições onde obtêm um diploma acadêmico.

Embora seja verdade que há funcionários que estão constantemente procurando atualizar seus conhecimentos, pode ser difícil para eles encontrar as ferramentas e/ou lugares onde possam atualizar seus conhecimentos de forma eficiente e eficaz.

As organizações devem ser capazes de identificar e organizar um plano de aprendizagem e desenvolvimento por emprego e por indivíduo. Porque duas pessoas no mesmo emprego não terão necessariamente as mesmas competências para melhorar.

As organizações estão começando a utilizar ou estão começando a utilizar plataformas como “Plataformas de Experiência de Aprendizagem”, projetadas para gerar experiências de aprendizagem personalizadas usando Inteligência Artificial e análise de dados.

Da mesma forma, algumas organizações estão fazendo parcerias com empresas ou instituições que oferecem plataformas educacionais, para que estas, dentro de seu amplo catálogo, ofereçam o treinamento apropriado ao colaborador.
Em geral, a EdTech deve ser o foco das organizações, pois pode ser o parceiro ideal para o treinamento contínuo (como no caso da HPI International, que fornece conteúdo de treinamento).

3. Desenvolvimento de líderes

A competitividade gerada pela globalização significou que as empresas estão começando a melhorar em inovação, qualidade de produtos e serviços, infra-estrutura, relações comerciais, etc., mas uma parte igualmente importante disso é o líder dos funcionários.

Ter bons líderes dentro da empresa facilitará e promoverá o trabalho em equipe, o cumprimento dos objetivos e, portanto, a obtenção de resultados.

A título de exemplo, a IBM ou a International Business Machiness Corp, na busca de formar líderes, independentemente da posição ocupada por seus colaboradores, realizou programas de mentoria e acompanhamento.

A IBM concentra-se em aprender e fomentar a liderança em todos os níveis da organização sob o esquema de “líderes ensinando líderes”, bem como considerar que os programas de liderança devem ser constantemente reinventados e devem ser incutidos nos funcionários a partir do momento em que eles são contratados, criando a Academia de Liderança IBM para este fim.

Então, convidamos você a refletir sobre alguns aspectos tais como: Tenho líderes dentro da minha organização, sou um bom líder, o que estou fazendo para promover uma boa liderança dentro da minha organização?

4. A gamificação como gestão do conhecimento

A gamificação envolve os funcionários em atividades, através do reconhecimento, feedback, relaxamento, colaboração, etc.

Da mesma forma, as pesquisas mostram que a gamificação pode gerar benefícios como, por exemplo

  • Promover a criatividade e a motivação: Este espaço nos permite participar de forma descontraída, o que gera que possamos refletir o que nos ajuda a atingir nossos objetivos sem consideração ou sem barreiras que bloqueiam nossa inovação e/ou criatividade.
  • Estimular o trabalho em equipe: A implementação de atividades onde os funcionários contribuem com outras pessoas, fortalecerá os laços e reduzirá o medo de trabalhar em equipe.
  • Incentivar a integração do funcionário na empresa: Ao fazer parte de uma atividade conjunta, você não só estimula o trabalho em equipe, mas também ajuda as pessoas a se sentirem parte de um propósito.

Então, quanto disto está sendo fomentado em nossas organizações, estamos cuidando do desenvolvimento de nossos funcionários e, finalmente, os vemos como um pilar fundamental de nosso crescimento ou como apenas mais uma parte de nossa organização?